quarta-feira, novembro 22, 2006


(heartbeat)



É tal turbilhão de emoções que faz questão de estar presente, por cada minuto que passa.

A cada passo mais perto do virar de esquina, em que a vontade é de regressar e de inverter ambas as faces do coração, para o que já foi.
Como é que pode ser tudo tão sentido numa só noite, quando cada lágrima representa cada sorriso?
Como é que podem ser desmanchadas palavras de amor, quando estas continuam a ser as mais precisas, em cada 'fim-de-tarde'?
Uma batalha entre o ser e o não saber.
Amar-te como nunca ninguém amou ninguém, nunca foi uma obrigação, mas sim uma feitiço, que jamais terá fim.
Não saber o porquê de ter esta batalha, é que me vai destruindo aos poucos. Corrói cada memória, e faz-me querer alvejar tudo, com cada grito em silêncio e com cada amarrar de olhares que já foram só nossos.
Fiz-te acreditar no impossível e senti-me princesa de um conto de fadas sem fim. Fiz-te meu prisioneiro, e sem pensar duas vezes, deitei a chave fora, para que não me pudesses fugir, e agora.. não quero que vás.
Mas não te posso obrigar a ficar, apesar da tua vontade ser a mesma que a minha.
São receios, medos que me confrontam todos os dias, assim como a tua foto pousada na minha mesinha de cabeceira todas as manhãs.

Nunca pensei viver uma história de amor. Tudo tão intenso, tudo tão vivido, tudo tão.. intenso e suave.
Tudo tão doce, como transparente. Tão emotivo. Tão desejado.






Contigo vivi uma vida.
E o respirar, o andar, o querer, o esperar, o horizonte no meu olhar..
Pertencem-te a ti,.. meu perfeito.




















(vais ser sempre tu. até ao último suspiro <3)

terça-feira, outubro 17, 2006

Foi feitiço ?



Agora, não se trata de uma questão de tempo, mas sim de necessidade. Preciso de te ter; de te abraçar com o olhar e de te ter perto. Tão perto, até conseguir respirar o mesmo ar que tu, que sinta os nossos corações a baterem em uníssono. Quero, sentir a tua mão na minha, e quero reter-te uma vez mais, na minha pele. O teu cheiro,.. esse teu odor, que é tão suave, quanto as palavras que me dizes, enquanto me mimas, com as tuas mãos no meu cabelo. sempre gostei desse teu jeito. Acaricias-me como uma menina pequena, sempre desprotegida, com receio de tudo e todos. Tu, o meu protector. meu guardião.

Sinto saudades da tua voz; de te ouvir a chamar pelo meu nome, e de me chamares perfeita, enquanto sorris para o além, que nos rasga o olhar perante o horizonte.
Nunca precisei tanto de te sentir.
Nunca senti tanto a tua falta, coração.
Tu que és o meu amparo, que sempre me disseste o que era o melhor e o pior. qual o caminho certo, a seguir. Sempre..


(vamos destruir os relógios, esmagar a saudade e sufocar o que nos separa.)





~ Apagas a Luz, esta noite ?

quarta-feira, setembro 20, 2006

Esta noite.


O manto de estrelas usual.
O mesmo de sempre, mas o que não era tao brilhante como em todas as outras noites, de um céu estrelado, sem nuvens, sem inquietações, sem vento, sem ruído.
Esta noite, não existem vestígios de vida, na Lua.
Os ultimos olhares, originaram memórias diferentes. Levavam todos os mensageiros desta união de dois corpos, a lembrarem-se das ultimas palavras, com aquele ultimo fulgor e com aquele aperto no peito.
Ninguém era de si mesmo. Tornam-se todos independentes. No entanto, faltavam as juras. Aquelas juras de amor, tão sinceras, tão vindas de um dar de mãos apertado e levadas pelo transpirar do tempo.

O escuro, tornou-se na unica luz.
As cartas de amor, substituiram orações.
E o eterno que era tão presente, hoje.. Fez-se acentuar ainda mais.
Marcou pegadas e traçou o caminho direito ao coração.






~ 'Juntos ultrapassamos tudo' .

domingo, setembro 17, 2006

Five minutes .



Modestos cinco minutos, que teimam em chegar. (Modestos?!)
Como é que eles conseguem?..
Passa tudo tão devagar e quando eles alcançam o relógio.. Malvados cinco minutos que me levam de ti.
Como é que eles conseguem, tirar a tua mão da minha?
Como é que eles conseguem fazer com que eu tenha de vir embora, e que tu fiques naquele nosso lugar de despedida, á espera que também os teus cinco minutos cheguem?


Modestos cinco minutos, que também fazem parecer um momento eterno. Aqueles que são vividos, até ao limite. Aqueles cinco minutos, em que me sinto segura. Aqueles cinco minutos, que me levam a ti, e que me deixam ficar por mais um bocado e se prolongam. Aqueles que me deixam olhar-te uma vez mais, antes de se irem embora. Aqueles que por um último toque, um último beijo, me deixam ficar retida no tempo, para te conseguir alcançar.
Por ventura, é-lhes díficil desobedecerem e pararem.. Mas, que alternativa têm eles, sendo o tempo vítima do amor que nus une?






~ São os cinco minutos, que retenho todas as noites, com a tua foto perto do meu peito .

He's all i need .


Mostrar-te o quanto és meu. O quanto és em mim. O quanto estás em mim.

Ter-te quando gostava de ter. Ter-te todas as noites, naquele sonho prolongado, que nem um abrir de olhos é capaz de acabar com ele. Ter-te em todas as coisas. Ter-te no espelho, na janela, na porta, na cama, nos lençóis.

Respirar-te. Respirar-te no vento.

Ouvir-te, ao som do rio e ao ritmo daquelas musicas, que me dedicaste, nos maiores momentos de carinho e ternura.

Olhar-te, através da Lua, quando nao te tenho nos meus braços.





Amar-te, para todo o sempre.







~ (my everything. )

quinta-feira, agosto 31, 2006

Every night .


Todas as noites.
O mesmo ritual.
As mesmas canções, que trazem aquelas imagens já vividas ao longo dos tempos, com uma lágrima ao canto do olho.
Colocar a tua foto, na minha mesinha de cabeceira para mais uma 'boa noite' com um 'amo-te' saudoso. Reter ainda um pouco mais o teu abraço longinquo no meu corpo e sentir a tua mão na minha cara. As carícias, os mimos.. Tudo tão presente, mas mesmo assim ausente.

Esperar por ti, é o que faço todas as noites. Mas quando me deparo com a mão, na tua almofada e não estás lá.. O coração gela e traz consigo toda a melancolia possível, duma noite de chuva e ventosa.
Mesmo assim, apesar de se repetir o mesmo ritual, todas as noites.. Espero por ti, como ontem, antes-de-ontem, e muito antes de todos os antes passados.

Se chegares, esta noite, apaga a luz.









~ Apaga a Luz, esta noite .

About me

  • I'm Refem delas .
  • From Sta Maria da Feira ., Portugal
  • Uma apaixonada pela escrita. Gosto de me fazer refém de todas as palavras. De lhes dar um novo sentido e misturá-las com sentimentos.. Uma menina do Norte. O coração, é grandioso, por guardar a ternura e carinho de todos aqueles que me envolvem. Amigos? Tenho. Posso orgulhar-me em dizer que realmente, tenho amigos de verdade. <3 *
My profile